Afinal, existe um tecido ideal para uniformes?

Entenda melhor

Não é chave que o consumo do análogo é capaz de reforçar — e bastante —, a credibilidade de um negócio, certamente? A padronização, no momento em que ensejo sob indicador para reparar aos desejos de imagem da empresa, proporciona ótima apresentação de sua equipe e inspira maior confiabilidade por parte dos clientes.

Porém o análogo não pode ser somente belo visualmente, ele necessita ser acionado e adequado para o rotina. Se você possui seu próprio negócio e se preocupa com as mensagens que ele transmite, precisa estar se perguntando: qual o melhor fazenda para análogo? Como não claudicar?

 

O grande chave — e que nós compartilha com você —, é entender que não há arquétipo absoluta. Cada ofício desempenhada e situação ação um material exclusivo, afinal de contas, o que atende bem os cargos administrativos não é o inclusive que funciona para atividades operacionais, por adágio. Listamos aqui, 3 situações profissionais mais comuns para auxiliar você a obter o melhor fazenda para análogo.

Tenha em mente: observar as especificidades e necessidades de cada ofício é a melhor maneira de garantir que sua equipe tenha um bom performance.

Profissões operacionais: defensão e durabilidade

Para atividades operacionais, especificamente as que pedem uma dose extra de segurança para impedir contato direto de agentes perigosos com o corpo, o brim e o blue jeans são bastante usados. Estes tecidos são mais grossos e resistentes, suportando melhor os impactos, além de serem bem duráveis. Os materiais são, também, de possível limpeza e, inclusive funcionando como uma natureza de base protetora, eles costumam ser confortáveis. Dessa maneira, são práticos e estão com ótima apresentação constantemente (coloração, maneira, fiação) sem grande força.

Contato com o cliente: plástica e conforto As atividades que envolvem relacionamento direto com o público e atendimento ao cliente (vendas, aceitação, cargos administrativos) pedem uniformes mais estéticos, uma vez que a situação não expõe o empregado à bens de atrito ou calor exagerado, por adágio.

A antecedência, por isso, é obter materiais que não amassem com agilidade, uma vez que moda amarrotadas passam a impressão de abandono e falta de comprometimento. Microfibras de poliéster de alta qualidade são excelentes opções para calcinha, blazers, vestidos e saias com bom corte. Para as peças de camisaria, tecidos mistos são preferíveis — como algodão com poliéster ou elastano, que mantêm o frescor e o conforto sem achatar e são mais duráveis.

O algodão, por ser completamente natural, pode ser mais fresquinho, porém apresenta menor durabilidade e defensão.

Ar aberto: frescor e movimento

Há profissionais que trabalham em áreas externas por horas e, também dessa maneira, precisam preservar a ótima aparência, uma vez que estão representando a empresa.É o caso, por adágio, de motoristas, entregadores, vendedores em serviços ao ar aberto. Nesse caso, o material adotado necessita ser fresco, evitando as desagradáveis manchas de esforço, e não impedir os movimentos, garantindo o conforto de quem usa este forma de análogo. Diversas opções viáveis, e uma delas são os tecidos de fibras naturais, como o algodão, que são capazes de auxiliar em uma imagem mais alinhada e com certeza são bem mais frescos.

Eles são mais frágeis e, por isto, precisam de atenção redobrada. As opção sintéticas são capazes de ser consideradas caso a exercício (ou a empresa) seja pouco apurado. Nesse caso, poliéster com tratamento dry, material até mesmo utilizado por atletas, favorece a diaforese, tem atuação antibacteriana e, em vários casos, protege em oposição a raios solares. É possível apresentar mão, similarmente, materiais como o piquet PA para acabamento de camisas polo. Com composto mista — 50% poliéster e 50% algodão —, ele une o melhor dos 2 mundos.

 

 

Site de uniformes:

 

 

Leave a Reply